BENFICA POWER
Connosco quem quiser, contra nós quem puder. É necessário estar atento a tudo o que circunda o Benfica com o objectivo de o debilitar. Serve este espaço para que a verdade desportiva possa prevalecer, alertando, demonstrando e denunciando tudo e todos
21 de Janeiro de 2010

Estou cansado. Imensamente cansado.

Cansado do Homem. Sim, cansado do ser humano. Cansado do “ser português”, Cansado de vaidades, chocarrices, futilidades; cansado de egoísmos, de "vampirismos"; cansado do ego humano, em especial do ego evangélico, dos donos da verdade, dos lobos disfarçados de cordeiros; cansado dos muitos que sempre se disseram “pela justiça e com a justiça” e nada mais fizeram senão e com maior ou menor eficiência  adorar o próprio ventre.

 

 

 

Farto dos "heréticos" e dos "apologetas"; cansado dos "fariseus", "nazireus", "profetas" e "extravagantes"; cansado dos hipócritas, que pregam a mentira como se fosse verdade — e também dos que pregam a verdade que não vivem, e são para si mesmos mentira. Cansado desta raça humana, falida, da qual eu faço parte. E, portanto, cansado também de mim mesmo.

Este é um desabafo, sim. Desabafo necessário e perfeitamente aceitável.

 

Aceitável pela legitimidade que me assiste por durante anos e anos, ter lutado contra aquilo que infelizmente apenas hoje o “português” ter acordado. Foi preciso ter-lhe entrado pelos olhos e ouvidos dentro as escutas que envolvem toda a escumalha sobejamente conhecida para que acordasse para a realidade.

 

Era legítimo poder ter algum sorriso nem que de sarcasmo fosse pelo que hoje se está a passar. Nem isso.

 

Letárgico é o meu estado de alma. Triste por olhar para tanto São Tomé. Triste por durante tanto tempo me ter sentido sozinho - com algumas excepções – amigos, consócios – adeptos de alguns outros Clubes que não o Benfica – poucos, muito poucos jornalistas e ainda menos líderes de opinião -  nesta demanda pela verdade desportiva, por assistir durantes anos ao bajulamento a uma personagem que em 25 anos conseguiu fazer algo que 800 anos vários outros caciques não conseguiram, dividir o meu País.

 

Letárgico, porque imagino neste momento as caras e estados de almas de todos os que cirandeiam à volta da Justiça Nacional sem vontade sequer de os mandar pintar a cara de vergonha.

 

E agora Lusitânia?

 

Não sendo causídico e isto apesar de já ter ouvido hoje um Juiz a garantir nada haver de ilegal na divulgação das escutas do processo do Apito Dourado, estou em crer que o português apenas acordou agora tendo como dínamo um acto ilegal que foram as publicações no You Tube de tudo aquilo que já se sabia.

 

Elas (algumas) aqui ficam enquanto não as retirarem claro está

:

 

 

 

 

 

 

publicado por Carlos às 16:12 link do post
14 de Janeiro de 2010

 

 

Bem tentei, queria ficar calado e não perder um único minuto com Pinto da Costa. Vá lá, estou a falar a sério, desta vez….

 

Não consegui. Sou um fraco, eu sei. Tanto por me recusar a comer couve-flor por não deixar de fumar e por ter de falar de um homem doente.

 

Começo por dizer que serei desumano, frio e cruel. Não me sinto pronto para comer o tal do legume, deixar de fumar, nem para tirar partido das bolsadas fedorentas do Pinto da Costa (Fedorentas….lá iremos)

 

Desumano porque coitado, é um homem doente.

 

Sejam justos, eu sei que quando se fala de Pinto da Costa, além de nos vir de imediato à cabeça vontade de comer fruta (a real, a que nasce da mãe natureza, afinal já estavam a pensar em qual?) surge também a ideia de estarmos perante alguém do domínio do desporto, pois esse, ou então algo relacionado com a justiça; Nada mais errado, ele é um caso do foro psiquiátrico!

 

Eis porque considero ser cruel falar de alguém que absolutamente necessita de apoio nessa área.

 

É com a experiência de  décadas de leitura e de audições (escutas não) que tenho assistido a um fenómeno curioso, o aumento de casos conhecidos de corrupção. Atenção disse conhecidos. Vá-se lá saber se no período antes de Pinto da Costa/Pedroto havia igual número de casos de corrupção, sem serem no entanto conhecidos. O que é factual é que tal como o nascimento  de Cristo marcou o nosso calendário com o habitual AC – DC, o nascimento da dupla Pedroto, Pinto da Costa marcou igualmente outra época. A actuação (ou falta dela) do Poder Judicial.

 

Assim esse período marca de facto o aumento dos casos de corrupção, estimulada pela impunidade. ... A imagem FC Porto / Viena já foi criada na ilegalidade, na sua sua história nua e crua só pode orgulhar certo tipo tupiniquim de mafioso muito comum nas "nossas elites".

Qual inquisição, os torturadores e seus defensores sentem medo dos olhares dos justos, daqueles que os desnudam com um simples olhar. Aquilo faz-lhes mossa, mas seguem e sempre seguiram impávidos e serenos orgulhosos pela  lembrança das atrocidades por eles perpetradas. Esperavam não ser descobertos, ou pelo menos, se se descobrisse que fosse já pelos seus netos e bisnetos. Mas não foi. Ainda foi em tempo de os podermos olhar e sentir o desespero dessa corja receosa da choldra. Quem tem medo da verdade é porquê tem o rabo preso.

As últimas flatulências verbais de sua Santidade da invicta deverão fazer corar de vergonha quem legisla, quem os não poude apanhar ou não quis “apanhar na esquina”. Não é a mim, nem a quem sempre soube e sabe que o que está gravado é real sem lei para prova, o que é diferente de ter sido provado ser mentira, que deve fazer sentir o peso da vergonha.

Este ser chamado de Pinto da Costa entre-meio escuro e abjecto usou e abusou de meios para atingir fins de todos conhecidos.

Passada a fase de quarentena, passada a fase em que procurou fugir para a Galiza, sai do seu buraco finalmente…mas…já não é o mesmo. Por isso digo e assumo estar a ser cruel com a lguém demente e a necessitar de acompanhamento.

O que me envergonha? Aí sim é ouvir um estrangeiro dizer que a nossa justiça tinha uma imagem  de lenta sim, mas implacável. Neste momento continua lenta e podre como fruta sem ser colhida. Um país com impunidade gera impunidade. A história estará sempre fadada  repetir-se. Num país permissivo, que não exerce sua indignação,e não acredita por razões óbvias na sua Justiça está condenado até que surja um “Garzon” à portuguesa que sem receio separe o trigo do joio e ponha ordem nesta tão maltratada Justiça Portuguesa …

Por todo o lado se sente medo. Nos políticos, na imprensa, entre os profissionais de futebol e não só…

Mas que QUE MEDO é esse de se revelar a Verdade? Será que é maior do que o Medo de não  poderem olhar para seus próprios filhos? Ou medo de não se  poderem olhar no espelho?…

 

 

Porque é que não inventam um apito encarnado ou de outra cor qualquer"? Disse o demente …

 

Muito bem…

O Padrinho do Norte já  não se convence de forma alguma que, não está acima da lei. Já teve a sorte e mãozinhas leves que lhe arquivaram os processos, o que quer este sujeito mais? Agora uma coisa é certa, não pode vir para as televisões debitar a sua ira sem antes pensar que está impedido de o fazer. Por isso, eu sei que é uma ninharia ao pé do que merecia, mas castigo e suspensão já!!!

Que diz agora a Justiça? Ou faz? Tapa a boca, corta as orelhas e tira os olhos?

O Senhor Presidente do FC Porto, que pediu uma  investigação ao futebol, está proibido de falar sobre a competição. Facto!  Não é preciso nada mais.

O pedido púbico de Pinto da Costa ao secretário de Estado da Juventude e Desporto para fazer "um apito encarnado" e "apurar o que se está a passar nos campos do futebol português", poderão valer-lhe uma nova suspensão.

Esta personagem vestida de Papa,  está castigada no âmbito do "Apito Final", com uma suspensão que incluiu a proibição de prestar declarações sobre a competição. Ficou inibido de exercer funções no âmbito da competição desportiva durante dois anos, tempo esse que só termina em Maio. Em Novembro de 2008, viu o castigo agravado, em quatro meses, também por declarações prestadas a um canal televisivo. Mas o Conselho de Justiça da FPF deu -lhe razão no recurso relativo ao agravamento da pena, mantendo- -se, assim, válida a sanção inicial de dois anos, que termina apenas no próximo mês de Maio.

O seu discurso nas comemorações do 10.º aniversário da Casa de Espinho, durante o qual afirmou que "inventaram apitos dourados" e "foram arquivados todos os processos", poderão agora ser analisadas pela Comissão Disciplinar, que poderá agravar a suspensão do presidente portista.

A não ser…

À semelhança do que os causídicos seguidistas do Papa do Porto sigam uma linha de raciocino idêntica à ridícula e absurda   tentativa de ilibar os agressores do túnel na Luz. Como se sabe todos eles foram provocados pela testa ou pelo corpo do segurança. É algo habitual então. A mim já me aconteceu, vou na rua e vejo uma testa a provocar-me por isso respondo à “agressão”.  Retomando, se a linha de raciocínio for idêntica podem sempre alegar que a semelhança com a personagem Pinto da Costa é pura coincidência. As comemorações do 10.º aniversário da Casa de Espinho contaram sim com a presença de um Palhaço a tentar dizer umas graçolas. Como aquilo não resultou nos ensaios meteram-lhe uma máscara do Pinto da Costa e aí a coisa já dava para fazer rir o povo no meio de uns chouriços assados e um belo carrascão. Hummm, sim talvez seja esta a defesa.

Não podia ainda deixar de falar sobre a intenção do presidente do FC Porto em processar os humoristas Gato Fedorento, comentando que «são pagos para dizer mal» do clube nos artigos publicados no jornal A Bola.

Ó homem, mete-te no asilo pá. Assim nem a imagem de Mafioso competente resguardas. Humor inteligente e certeiro, custa? Pois. Quando as verdades custam a engolir tenta-lhe meter manteiga (já viste o último Tango em Paris? Inspira-te pá) Já paraste para pensar que assim sendo vais acabar por processar um país inteiro. Todos temos um pouco de fedorentos, até os Juízes, só que estes nada podem contra buracos de lei aproveitados por ratos das leis. Neste momento o que mais há é fedorentos e cada vez são mais a dar luz a certas mentes que se mantinham na idade das trevas. A combater dogmas instituídos vai para 30 anos

 

 

Termino com esta significativa frase de Ricardo Costa Presidente da Comissão de Disciplina Da Liga :

 

 

 

 

"Se fosse hoje o FC Porto seria condenado"Ricardo Costa Presidente da CDL dixit

publicado por Carlos às 16:43 link do post
30 de Julho de 2009

Apesar das autoridades já terem conhecimento de uma conta para onde existiu um fluxo de dinheiro não explicado por parte de Pinto da Costa, apenas a partir de hoje a procuradora Maria José Morgado e a equipa especial constituída para investigar o "Apito Dourado" está a investigar qual a instituição bancária, fundos existentes e principalmente a justificação e origem de tais valores. O único dado apurado é que essa Conta está sediada em Genebra.

 

Apesar da morosidade de todo este processo aguardemos. O caso está longe de estar encerrado.

publicado por Carlos às 15:00 link do post
26 de Maio de 2009

 

O Boavista, campeão nacional em 2001, cai assim na III Divisão. Inédito: nunca um campeão descera ao terceiro escalão do futebol nacional.

 

Com 5 salários em atraso e passivo de 90 milhões o futebol profissional do clube está a um pequeno passo do fim. O que aqui se torna difícil de explicar, ou melhor de entender trata-se do facto de a despromoção do Clube do Bessa ter sido concretizada na secretaria (época passada, por coacção de árbitros, no âmbito do 'Apito Final').

 

O que leva a que todos os que ainda crêem em algo chamado justiça, a questionar…então e os outros? Os das frutas, cafezinhos, recepção a árbitros em vésperas de jogo, etc, A diferença é óbvia, o Boavista serviu de testa de ferro, esperando “os outros” que o tempo possa fazer passar e esquecer o que é por demais evidente. Estou-me perfeitamente a borrifar se as escutas são ou não “legais”, a gravidade do que lá está dito é-o, e é isso que interessa. A ajuda e “parceria” com o Boavista vigorou enquanto deu jeito, não dando viraram-se para outras parcerias, chamadas “Belenenses”, Braga ou V Setúbal… para uns as consequências estão à vista

Retomado o assunto Boavista, nem a presença na III Divisão 2009/10 é ainda um dado adquirido: O passivo (30 milhões da SAD e 60 do clube) ameaça o próprio futebol profissional.

 

No meio deste caos, bem pode o clube portuense não perdoar a Liga pelo 'Apito', exigindo compensações. "Alguém terá de pagar a factura"disse, o presidente Álvaro Braga. E a tese foi repetida pelo líder da mesa da Assembleia-Geral, José Lello, que se mostrou "confiante de que a justiça vai dar razão ao Boavista", que deve "ser ressarcido pelos danos sofridos". É evidente que não deve qualquer compensação, o que devia ter sido feito sim era o outro “clube portuense” ter sofrido justamente a mesma pena que foi dada ao Clube do Bessa.

publicado por Carlos às 12:55 link do post
18 de Maio de 2009

Photobucket

 

Carlos Duarte, árbitro-advogado de defesa dos arguidos no caso Apito Dourado, causa expulsão de Quique !

 

Que mais falta para nos espantar? Venha a próxima tirada para nos deixar sem reacção, tantas têm sido as supresas neste nosso "futebolzinho".

 

Recordo entretanto uma das suas melhores tiradas neste enrolado processo. Carlos Duarte, à data lembrou a acusação que alega «que Jorge Saramago e Licínio Santos faltaram à verdade desportiva em troca de prendas», o que no caso do Gondomar SC se traduzia em fios de ouro num valor que rondaria os 125 euros. O que o levou a dizer em tom irónico:

 

"125 Euros é o preço destes homens? Se calhar todos os homens têm um preço, mas não é tão baixo?"

 

E está apresentado "o 4.º árbitro", Carlos Duarte, que tem sido protagonista como advogado de defesa de alguns arguidos do processo Apito Dourado. Eis quem chamou Artur Soares Dias, tendo o árbitro principal cabado por dar a Quique ordem de expulsão. Entre as diversas expressões do treinador do Benfica dirigidas ao 4.º árbitro uma delas terá sido bastante repetida: "Isto é uma vergonha!"  

 

Que mais há a dizer? Nada, ou talvez apenas isto, vamos jogar para Espanha...

publicado por Carlos às 10:43 link do post
29 de Abril de 2009

Dou comigo a pensar, mas andamos todos indignados com a impunidade que existe no nosso pequeno mundo do futebol, ele é impunidade sobre corrupção, sobre as trocas de favores e influências…enfim…

 

…um minuto…pensamos e falamos sobre o nosso futebol? Certo! Mas, se alargarmos as nossas considerações sobre o tema ao país e ao meditarmos; como há-de esta coisa chamada futebol português não ter tamanhos comportamentos civicamente reprováveis se se torna cada vez mais evidente que afinal o principal problema social e financeiro deste País não é o da fuga aos impostos, mas sim o da corrupção? É ela que permite negócios paralelos e decisões particularmente lesivas não só para os interesses do Estado, logo acaba no fundo por nos tocar a todos nós cidadãos.

 

É difícil apurar os montantes que o País perde anualmente em função da corrupção, dos interesses instalados ou da participação ilícita em negócios, da troca de favores ou do recurso a influências e conhecimentos que favorecem ou impõem soluções lesivas para todos. É difícil de facto. Mas serão muito elevados. E resultam de um efeito transversal na nossa sociedade onde o Futebol como é óbvio surge como meio perfeito para este tráfico de pequenos favores que se tende a generalizar. Ora se a impunidade se mantém hoje, como é lógico, a inclinação para usar os mesmos métodos no futuro manter-se-á dada a sensação de tolerância que se vai prolongando ao longo dos anos. É por demais evidentes os intricados meandros desta coisa dos tráfegos de influências e outros processos ínvios. Basta vermos e lermos diariamente por exemplo o que se passa entre autarquias, futebol, adjudicações de serviços, de empreitadas ou de obras públicas, etc, para entendermos que afinal aqueles acórdãos ditados em alguns tribunais (apitos dourados, apitos finais, envelopes e afins) não fogem à actual realidade do nosso país.

 

É certo, por vezes lá surge uma ou outra carpideira no meio da sociedade civil ou no sistema partidário (onde deveria ser) a apresentar leis, como ainda recentemente aconteceu com as propostas sobre a corrupção, mas a prática continua a mesma. Promessas que não se cumprem.

 

Com o poder político a recusar parte das medidas de combate à corrupção sem que haja uma efectiva responsabilização de quem permite que estas situações se eternizem e multipliquem, claro está, que todo este ambiente gera, desinteresse pela política, alheamento de muitos pelos assuntos da governação, de que resultam taxas de abstenção elevadas. No caso do futebol? Simples, estádios vazios, clubes falidos, alheamento sobre o que deve ser o desporto, enfim um encolher de ombros tal a impunidade que se mantém.

 

Simples? Fácil? Não, não seria, mas acredito que com um maior empenho no combate efectivo à corrupção, nas suas diversas vertentes, mesmo aquelas que, de tão habituados que estamos a encarar com normalidade, as despesas efectivas do funcionamento do Estado baixariam.

 

Só resta, realmente, perguntar quanto custa para combater a corrupção? Quanto custa, que eu pago a minha parte.


Photobucket

publicado por Carlos às 08:50 link do post
25 de Abril de 2009

Apito Dourado

 

 A 5 de Novembro de 2008 o Tribunal de Gondomar condenou o árbitro Martins dos Santos a 20 meses de prisão e António Henriques, ex-elemento do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol e antigo presidente do Marítimo a 28 meses de cadeia, mas ambos com pena suspensa. Em causa estava a prática do crime de corrupção desportiva no âmbito de um jogo entre o Marítimo e o Nacional, da época 2003/2004.

 

A Juíza Manuela Sousa, responsável pelo julgamento do caso, considerou provado que Martins dos Santos praticou um crime de corrupção desportiva passiva e que António Henriques praticou o mesmo crime, na forma activa.

 

O tribunal validou as escutas, apoiando-se em decisões relativas ao processo originário do "Apito Dourado" e em acórdãos da Relação do Porto e do Tribunal Constitucional. "É legítimo o recurso àquela prova", acrescentou.

 

 

Pelo contrário, a juíza não considerou o relatório de peritagem às jogadas polémicas do desafio, uma vez que os peritos não o confirmaram em sede de audiência.

A acusação referia que Martins dos Santos teria como contrapartida, pelo alegado benefício do Marítimo, a promoção do seu filho, Daniel Santos, igualmente árbitro, da terceira à segunda categoria. Porém, a pronúncia referia apenas que Martins dos Santos terá obtido uma "vantagem não concretamente apurada". O tribunal entendeu, a este respeito, que as escutas referiam efectivamente a tese expendida na acusação.

 

As escutas não mentem e só quem teima em as não ouvir duvida da podridão em que vive o futebol português

 

Curiosidade, Martins dos Santos foi vencedor do Apito de Ouro, prémio instituído pelo Record precisamente no ano deste acontecimento...

 

Mas então porque a justiça funcionou em Gondomar e não funcionou em Gaia relativamente ao “Caso do Envelope”?

 

 

Parte da resposta está na postura e idoneidade da Juíza. Ao contrario da

Juíza Catarina Almeida, que fez ouvidos moucos às escutas e aos depoimentos de Carolina Salgado, previligiando os depoimentos de amigos (Antero Henriques, Pôncio Monteiro, José Fernandes e o tal Juíz António Mostágua) confessos dos arguidos. A Juíza de Gondomar fez exatamente o contrário.

 

 

As escutas foram inclusive utilizadas e ouvidas em tribunal na íntegra. Dessa forma e perante as evidências a defesa dos arguidos caíu por terra ficando claro o que era óbvio, a troca de favores entre os arguidos.

 

Mas, e como já aqui escrevi, o mais importante foi a forma como no caso de Gondomar a Juíza encarou e entendeu o crime de Corrupção. Se em Gaia não se provou que Augusto Duarte tivesse beneficiado o (FC) Porto na partida com o Beira Mar, logo não se provou dano e corrupção. Em Gondomar o mesmo aconteceu, mas com uma substâncial diferença; o simples facto de existir um telefonema a incitar a essa prática bastou para que se comprovasse como é lógico corrupção.

 

Ficamos assim a saber que perante a justiça é perfeitamente normal o que o Juíz Mortágua disse, “os valores a pagar aos árbitros eram e são do seu conhecimento”, mesmo no caso de Gaia o Tribunal Constitucional ter afirmado sobre as escutas telefónicas "É legítimo o recurso àquela prova", as mesmas foram ignoradas, e acima de tudo, é perfeitamente normal, um árbitro ir a casa de um Presidente de um Clube que irá arbitrar no dia seguinte. É normal que recebe um Envelope com dinheiro e é perfeitamente normal que a nossa Justiça ao escamotear provas com a importância que já vimos considere normal tudo o que se passou absolvendo “por falta de provas” duas pessoas que neste momento se riem da nossa Justiça.

 

E assim vai andando a nossa Justiça com a cabeça entre as orelhas. Posturas diferentes, Em Gondomar a Justiça foi cega e actuou, em Gaia a Justiça não foi cega, foi surda e assim permanecem impunes Pinto da Costa e Duarte Gomes.

Muito grave! Explicações sobre estas incongruências e acima de tudo medidas concretas sobre este estado de sítio em vive a Justiça portuguesa estão por dadas e tomadas.

Acham por isso estranho que Pinto da Costa ainda goze com tudo e todos dizendo não ter medo de ninguém? Pudera, o que é preciso? Que o homem tenha uma atque de consciência e admita tudo o que se tem passado nos ultimos 25 anos? Bom se tal acontecesse, ainda assim tenho a certeza que se safava por a Justiça considerar não poder ter em conta declarações de um demente.

 

E se Martins dos Santos foi condenado com base no encontro Marítimo - Nacional, a fama deste senhor precede-o. Como e muito bem o nosso Jornal "O Benfica" recorda como exemplo do que este árbitro andou a fazer pelos relvados durante anos: Na temporada 2003/04, o (FC) Porto e o Rio Ave encontraram-se para disputar as meias finais da Taça de Portugal com Martins dos Santos nomeado para este jogo. Época em que o Rio Ave estava a fazer uma carreira notável...logo..PC teria de prevenir. ...

 

Numa escuta interceptada, o presidente do (FC) porto telefona a Pinto de Sousa para que este desse uma "palavrinha" ao árbitro e, em especial ao 4º árbitro, Perdigão. O (FC) porto vence a partida por 2-1 com uma arbitragem polémica, com este 4º árbitro a ser determinante na amostragem de um cartão amarelo a um jogador do Rio Ave, que mais tarde acabaria expulso...

 

"A Bola" escrevia como título da Crónica deste desafio: "Dragões de raça abençoados por Santos e Milagres" E...quem era o Santos? O Martins claro.

 

No final deste encontro, Pinto da Costa telefona ao seu advogado pessoal, Lourenço Pinto, congratulando-se pelo resultado, ao que este lhe respondeu com risos e alegria, que iria de seguida jantar com a equipa de arbitragem...

 

É preciso dizer algo mais...?

 

Apenas que o caso está na gaveta da Procuradoria... 

 


publicado por Carlos às 16:26 link do post
24 de Abril de 2009

 

Diz o tal dirigente que está suspenso por dois anos (foi o melhor que se arranjou) que podem contar com ele e que não tem medo. Qual a novidade?
 
Porque tem um clube como o porto ganho? Vejamos:
 
Não se pode considerar o futebol português justo, sério e honesto quando:

- Um clube que passa à margem das leis desportivas
» Acusação provada de CORRUPÇÃO desportiva; Participação IRREGULAR na Champions; Participação IRREGULAR na Taça da Liga, Incrição IRREGULAR de jogadores

- Um clube que  passa à margem das leis judiciais
» Informações privilegiadas que resguardam de acções judíciais da PJ
» Decisões arquivadas em tribunais que penalizam outros cidadadãos em condições semelhantes

- Um clube que vicía a verdade desportiva
» Empréstimo de mais de 50 jogadores a quase todas as equipas de futebol das Ligas Profissionais
» Apoios financeiros à generalidade dos clubes da 1a Divisão assegurando a sua subserviência.
» "Colocação" de jogadores nos principais planteis da 1a Divisão garantindo o acesso a informação privilegiada e interferência destes nos jogos com o clube

- Um clube que tem interesses directos e indirectos em 80% dos orgãos de comunicação social
» Posição accionista do presidente do clube na Cofina (CM e Record)
» Posição accionista relevante da Olivedesportos no clube
» Conjugação de interesses na RTP, TVI e Sporttv (via Joaquim Oliveira) e alinhamento com Grupo Impresa.
» Garantia de controlo de opções jornalísticas, comentadores mais "habilidosos"...

- Um clube que  tem benfícios directos e indirectos dos organismos públicos
» Financiamento integral de infra-estruturas no valor de quase 350M€
» Promiscuidade com poderes locais do Porto e Gaia
» Interferência na vida política através de apoios ao PS

- Um clube que controla poderes federativos e associativos
» Dirigentes "plantados" e controlados na Liga e FPF via domínio da AFPorto destes dois organismos
» Garantia de acesso e influência das decisões da Liga e FPF

- Um clube vicia resultados desportivos próprios e alheios
» Através do controlo dos organismos de decisão, capacidade de escolher e influênciar árbitros para os próprios jogos e para os adversários, assegurando as decisões que mais lhes interessam
» Garantia de apoio aos clubes "alinhados" de modo a poder obter as devidas compensações e comprar os respectivos silêncios.
 
 
Quem quiser ser ingénuo, seja. Mas já vai sendo tempo de dizer chega!!! Chega de se se suportar tamanha subserviência, chega de receios do SISTEMA. Levante-se a voz da Justiça e da Honestidade.
publicado por Carlos às 01:59 link do post
15 de Abril de 2009

Não podemos estar todos os anos a começar do zero só porque os habituais factores extra-futebol foram novamente mais fortes do que os argumentos apresentados dentro do campo.

 

Não podemos, chega! Este é o rumo, e é para ser mantido.

 

Quantos aos factores extra-futebol, basta lembrar entre vários, 3 jogos, com o (FC) Porto, Nacional e Académica, quantos pontos? Pois, isso mesmo.

 

Onde estaríamos na tabela classificativa? Pois isso mesmo.

 

Lembro ainda que na  “altura certa” não permitiram que o Benfica  “arrancasse” sozinho para a liderança por causa de dois Pedros, um Henriques o outro Proença de seu nome. É bom não esquecer que ano após ano no “momento certo” existe sempre um “Pedro” a agir. Por isso aqueles a quem chamo de Benfiqueses, e que vão para a Luz como se fossem para uma sala de Cinema é bom que se lembrem a quem deviam mostrar lenços brancos e contra quem deviam direccionar as suas energias.

 

Se existe responsabilidade do nosso Técnico? Claro que sim. Como já aqui disse por mais que uma vez, Quique tem de perceber que não está a treinar o Valência que compara os terceiros lugares de um ano com o 5º do anterior. Questões técnicas, quem sou eu para falar delas, porventura questiono se estaremos a colocar os nossos Jogadores nos locais adequados. Questiono por exemplo se terá sido uma boa solução a aposta em Suazo deixando o nosso melhor marcador Cardozo no banco grande parte da época. E ainda a instabilidade causada pelas trocas constantes num local tão específico como o de guarda-redes. Bom mas isto de se falar depois das decisões tomadas ou opinar do meu lugar na bancada é muito mais simples do que estar no lugar de Quique.

 

E sim, insisto na ideia de voltarmos a contar com José Veiga.

 

E deixo para o fim o que tendo sido assumido pela Justiça nesta época, nos pode proporcionar para a próxima; devemos, TEMOS, que aprender também a organizar viagens ao Brasil e abrir algumas lojas de fruta, e gabinetes de apoio familiar! Mais tarde, eepois quando o cancro morrer (se morrer) ou a verdade imperar, aí podemos voltar a ser sérios como sempre, mas tolos nunca mais.

 

 

publicado por Carlos às 11:33 link do post
06 de Abril de 2009

Apeteceu-me recordar o ano de 1994.

 

Sei lá porquê. Apeteceu-me!

 

1994, o ano, em que Reino Unido e França ficaram unidos por um túnel sob o Canal da Mancha, Mandela foi eleito Presidente da África do Sul. Descobriu-se que o sistema Solar assenta numa nuvem interestelar e que os cristais de plasma dariam um excelente meio condutor para futuros televisores. Ano em que se desvendou a tolerância da cultura do tremoço ao Triadimenol.

 

Nesse ano, Isaías e Paneira ainda jogavam e de que maneira pelo Benfica. Dois bandeirinhas jogavam no (FC) Porto, um jogava fora, o outro dentro. O Paulinho Santos jogava dentro e dentro também metia os maxilares dos adversários. (Até que um malandro chamado Acosta lhos meteu a ele)

 

Ainda a registar neste ano de 94 na Equipa do Porto um excelente ponta de lança chamado Secretário, o tal que teve azar a Lilly Icos não ter surgido mais cedo. Mas o azar com a lei da gravidade do Secretário, é compesado pelo facto de poder dizer aos netos que jogou no Real Madrid (O prémio de pior jogador de sempre da Liga Espanhola prova-o) Ah e claro o GPS ainda estava apenas ao alcance da Nasa e o preço da alface era 1/3 do actual.

 

E ainda neste ano de 1994, compreendi tudo sobre o futebol português no dia 21 de Setembro de 1994. Disputavam-se os últimos cinco minutos da segunda mão da final da Supertaça, no Estádio das Antas. Era daqueles jogos em que quem marcasse, ganhava. E o Benfica marcou. Custou um bocadinho, mas marcou.

 

Lembro-me como se fosse hoje: Carlos Secretário, (o tal do problema com a lei da gravidade) um especialista a fazer assistências para os adversários, isola de forma brilhante César Brito. César Brito remata para excelente defesa com as mãos de Baía, que se encontra dois metros fora da grande área. O árbitro, sr. Donato Ramos, observa rigorosamente a lei que se aplica em jogos no Estádio das Antas e manda seguir. Por sorte, a bola sobra para um jogador do Benfica chamado Amaral. Amaral chuta e José Carlos, defesa-central do FC Porto, introduz a bola na própria baliza. Golo.

 

Nisto, o "bandeirinha" lembram-se? o tal que jogava por fora? (sim naquela altura ainda se chamava bandeirinha) levanta a dita. No momento em que o jogador do FC Porto marca o autogolo, há um jogador do Benfica, a uns 15 ou 20 metros de distância, que está em fora-de-jogo posicional.

 

Inteligentemente, Baía tinha saído da grande área para defender com as mãos o remate de César Brito, deixando depois este último em posição irregular. Golo anulado. Aqui está um excelente vídeo para poderem recordar.

É claro, fiquei esclarecido. Quando estoirou o escândalo dos quinhentinhos do Guímaro, nem um minuto de atenção dediquei ao assunto. Para quê? Quando Carlos José Amorim Calheiros (conhecido no mundo do futebol como Carlos Calheiros e no mundo das agências de viagens como José Amorim) foi de férias para o Brasil com a viagem paga pelo FC Porto, tudo comprovado por facturas, encolhi os ombros, e disse, qual a novidade? O clube da organização e do rigor tinha pago, por engano, uma viagem a um árbitro. E daí? Quem nunca pagou uma viagem a um árbitro por lapso que atire a primeira pedra. Acontece-me pelo menos uma vez por mês. Quando li as escutas sobre a «fruta para dormir» e os «rebuçadinhos para a noite»? Virei a página, que eu cá gosto é de novidades. E quando Pinto da Costa confessou que recebeu um árbitro em casa na véspera de um jogo, bocejei e retomei o que estava a fazer. Perspicaz Por tudo isto tenho grande dificuldade em compreender os receios dos adeptos do FC Porto. Ouçam lá, amigos, se não aconteceu nada depois do golo do Amaral, dos quinhentinhos, do José Pratas a bater o recorde dos 100 metros à frente do Fernando Couto em Coimbra, do Calheiros, da fruta para dormir e do serviço de árbitros ao domicílio, acham que é um Apito Dourado ou parecer de Direito Administrativo que vos vai tramar? Nada temam. Além disso têm tempo para ler os documentos antes de o comentarem. E depois podem dizer: «Sim senhor, gostei muito de ler o parecer, a história é empolgante, e tal e coiso, e coiso e tal, mas agora vou arquivá-lo aqui no caixote do lixo, ao lado desta factura em nome de José Amorim». Mais cedo ou mais tarde, é lá que ele vai parar.

 

Ao mesmo local onde foi parar o “envelope azul”. Bom, mas pelo menos clarificámos o tabu sobre as visitas dos árbitros a casa de Pinto da Costa. A Justiça Portuguesa considera normal que os homens do apito possam visitar e receber umas prendas do dito senhor.

 

Afinal, o que é um envelope com dinheiro? A “fruta” da época ou importada já tinha sido validada pelos mesmos Juízes. Colegas do Meritíssimo Mortágua, o tal que finalmente veio clarificar a existência de uma tabela de valores para compra de árbitros. Assim sim, tudo claro é que é bonito.

 

Tudo claro é o que pretendemos. Assim recordo que também se "clarificou" que António Tavares-Teles foi apanhado numa das mais edificantes escutas do processo Apito Dourado. Depois de ter confirmado que o Conselho Deontológico do Sindicato dos Jornalistas concluiu que Tavares-Teles tinha infringido «objectivamente o n.º 1 do Código Deontológico que obriga a relatar os factos com rigor e exactidão e interpretá-los com honestidade», e ofendera a deontologia profissional — o processo não o considerou relevante. Devem ser ares do Calor da Noite. Deve ser igualmente do calor fora de época que a lei da gravidade para os lados das Antas foi redescoberta, não, não é a do Carlos Secretário, esse já tem o Llly Icos, falo mesmo daquela de Isaac Newton. Mas quem é Isaac Newton ao pé do Jesualdo? "Alguém quer experimentar? Caír para trás?"

 

E siga o futebol português...

publicado por Carlos às 17:25 link do post
Março 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
NOTÍCIAS
Posts mais comentados
Page Counter & TV

Hit Counters




pesquisar neste blog
 
últ. comentários
É verdade nao deixemos o slb a ser consumido com ...
Pelo factos dados como provados? Dados Como prova...
Amigo que a liga condenou um inocente e os factos ...
Boas.Não querem trocar de links entre os nosso blo...
Gostei muito
Achei engraçado um pormenor aqui no blog ... ainda...
Olá.Visitei o seu blog e achei-o bastante interess...
filhos da puta dos portistas, metem nojo!
E o pior de tudo é que isto PRESENTEMENTE se está ...
blogs SAPO