BENFICA POWER
Connosco quem quiser, contra nós quem puder. É necessário estar atento a tudo o que circunda o Benfica com o objectivo de o debilitar. Serve este espaço para que a verdade desportiva possa prevalecer, alertando, demonstrando e denunciando tudo e todos
28 de Novembro de 2009

Devo avisar que serei sectário, faccioso, inflexível e duro neste meu débil empenho em afirmar o meu desprezo pela comunidade do clube do Lumiar.

 

Desde o dia em que vi Zé Bettencourt - a quem neste texto passarei a tratar por Betu Curt – a saltar já como presidente eleito ao lado de Dias Ferreira e a gritar um cântico insultuoso para com o Benfica, lembrei-me da complacência que a maioria dos benfiquistas contra minha opinião sempre tiveram para com clubes como o Sporting e Belenenses, “coitadinhos” é o que ouço! Pois bem, tal como um insecto sem qualquer utilidade são para esmagar. Como saberão quem me é mais próximo, nesta coisa das rivalidades sabem como funciona o meu benfiquismo.

Para mim, o FC Porto é uma invenção recente. Tenho-os unicamente como pretendentes às provas que disputamos. Tal como tinha o Marselha e o Bernard Tapie, entretanto preso ou também a Juventus e Luciano Moggi igualmente enclausurado ou ainda o Steua de Bucareste e o seu Gigi Becali, preso recentemente. Porto, não gosto deles é certo, mas não me aborrecem. Apenas em circunstâncias em que alguma afirmação do seu chefe que nos seja dirigida. Aí sim, caio-lhes em cima com tudo.

 

Estou mais que habituado áquelas atoardas prontamente acolhidas e abençoadas pelos seus Bispos, sabujos, subalternos e fiéis ao “Santo Padre” da invicta. Mesmo assim o meu assomo até é mais com a pessoa “Pinto da Costa” do que com o clube. Analisadas bem as coisas, consigo fazer uma separação das águas e dizer que em relação ao FC Porto apenas não gosto da claque organizada deles a mais conhecida, aquela que estoira com estações de serviço, mostrando uma tremenda coragem por atemorizar meia dúzia de funcionários desses locais e do seu presidente. Um, PC da Costa está identificado, outro, nem liga a futebol, apenas olha com carinho as marcações brancas do relvados. O resto é-me mais ou menos indiferente.

 

O meu benfiquismo faz com que o rival do meu clube seja aquela colectividade que mora para lá da segunda circular para os lados do Lumiar. Aí sim, não divido nada, vai tudo à frente por igual. Odeio tudo o que tenha a ver aquela agremiação. As excepções são alguns amigos que escolheram passar pela vida carregando a cruz de apoiarem aquele clube, e são pessoas decentes de quem eu gosto muito, mas regra geral o adepto osga, vulgo lagarto típico é bem retratado pelo Dias Ferreira. Sempre que penso em “lagartos” surge-me de imediato na mente um campo pleno de barbados todos vestidos de talibã, cabelo untado a espumar e com uns olhos artilhados de ódio alheados ao seu próprio clube, sem sequer olharem para o relvado do seu campo, apenas interessados no que se passa do lado de cá de Lisboa do outro lado da segunda circular. Eis como vejo o típico lagarto. Exemplo desta imagem é o facto da maioria lagarta terem na personagem Dias Ferreira um excelente talibã nos mais que previsíveis pretensos ataques ao Glorioso.

 

Como não gosto mesmo nada de me andar a irritar com este assunto, lido com este ódio ao clube do avozinho pura e simplesmente ignorando-os e procurando esquecer que existem. Início de época, procuro não saber nada sobre eles. Não vejo os jogos deles, não quero saber se foram roubados ou beneficiados, não vejo resumos dos seus jogos, quando surge algo sobre lagartos na imprensa escrita de imediato passo à frente as páginas que lhes dizem respeito. Mas estarei atento a este Betu Cu-rt. É capaz de ser interessante seguir algumas das suas tiradas. Além claro de manter à linha de vista a “Santa-Aliança” Roquete+Pinto da Costa que estes recentes resultados eleitorias dos verdes vêm manter. Ao ver alguém ligado a esse clube a ser entrevistado na televisão vou continuar a mudar de canal. Espero assim consiguir manter-me afastado de assuntos Osgó-lagartianos. Apenas se torna impossível de atingir este objectivo pelo menos durante duas semanas por ano, altura em que o Benfica tem que jogar com eles. Sinto este mau estar nestes últimos dias por saber que pelo menos durante duas semanas no ano não terei hipótese de ignorar a existência da agremiação do Lumiar, porque mesmo os nossos jogadores e técnicos têm que falar sobre eles.Eis porque ignoro por completo isto que chamam de Derby da Capital. Existe algum hoje?

Mas a pior de todas as semanas, e aquela que mais é mais dolorosa é a que antecede a visita das osgas à Luz. O Estádio da Luz é um santuário, uma zona livre de répteis. Quando eles vão à Luz é como se a estivessem a profanar. Bolas para isto, lá estou eu de novo nesta fase final da pior semana do ano a antecipar a inevitabilidade de o meu sossego ser interrompido por mais uma semana durante o próximo ano.Não tenho hipótese: vou ter que ver aquelas camisolas horrendas pisarem o relvado da Luz; vou ter que me cruzar com aqueles adeptos que seja qual for o resultado nunca perdem, são sempre derrotados por factores extra-futebol, por detrás dos quais está sempre o Benfica a puxar os cordelinhos. São ainda aqueles que bramem mais desalmadamente um golo de um adversário do Benfica seja ele qual for, seja em que competição for, do que um golo do seu próprio clube, são aqueles que chegam ao cúmulo de desejar a derrota do seu próprio clube contra um adversário directo do Benfica, de forma a alimentarem a esperança que o Benfica não ganhe uma competição. E ainda aqueles que em qualquer jogo, em vez de puxarem pelo seu Clube dedicam a utilização das suas pobres gargantas a insultar o Benfica. Por mim, o Benfica hoje não se apresentava no Campo Grande. 3 Pontos? E depois? Não tinhamos que nos misturar. Desde muito pequeno que me lembro de ter este desprezo pelo clube do avozinho. Recordo-me de algures no tempo, ir ao antigo estádio de Alvalade (quando o Benfica lá ia jogar) com um familiar e de me dar a volta ao estômago quando, a meio do jogo, se começava a ouvir uma espécie de balido vindo lá debaixo da pala: 'Cepór... tém! Cepór... tém!'. Assim mesmo, dito num ritmo muito lento, como se tivessem que tomar fôlego entre as duas sílabas. Aquilo não chegava a ser um grito de incentivo, ouvia aquilo e imaginava uma multidão de mitras empoeiradas que de repente, numa espécie de dor compulsiva a soltar aquele som, aquela espécie de lamento que na sua própria entoação encerrava toda a desgraça e tristeza que era ser adepto daquele clube, e entre as duas sílabas tivessem que tomar fôlego para evitarem desfalecer. Normalmente um lançamento perto da nossa área ou dois pontapés de canto seguidos eram a fagulha que provocava esta manifestação de fervor sportem…guista. 'Cepór... tém!' - lastimava-se o povo, no meio de uma nuvem de poeira e traças entretanto levantada pelos seus adeptos. Depois se o árbitro marcava um lançamento ao contrário, soltava-se um prolongado ganir sofrido, como se Moisés tivesse despejado sobre eles toda a sua ira sob a forma de pragas de proporções bíblicas. Desde pequeno que a palavra 'Ceportém' criava na minha mente imagens cinzentas, cheias de bafio e poeira e gente velha com fatiotas escuras a cheirar a éter. O Benfica e o vermelho pelo contrário faziam-me pensar em alegria, emoção, paixão e gente entusiasmada. Até na forma como os golos são festejados os adeptos são diferentes. Um 'Golo!' gritado por adeptos do Benfica é diferente de um 'Golo!' gritado por adeptos do Campo Grande. O nosso 'Golo!' é um golo alegre, o Benfica marca golos, e os outros sofrem, porque nós somos mais fortes. Isto é o que é natural. O ‘Golo! ‘ deles encerra algo de velório, estranheza e desespero. Até a história da formação da agremiação de Alvalade é ridícula, nascidos que foram de uma birra entre queques chateados por não se organizarem mais bailaricos no Campo Grande Football Clube, e amuados por não terem sido convidados para um piquenique. Lá foram pedir dinheiro ao avozinho de um dos queques e lá fizeram o seu clubezeco privado. Eis a explicação da tara que são um clube 'diferente'. Ó confraria produzida em série em camarins bolorentos e empoeirados, e cada um deles parecendo fazer parte de uma qualquer confraria de agentes funerários. Todos com palas que apenas lhes permitem olharem na direcção do Estádio da Luz, e constantemente observar e comentar o que por lá se passa. São capazes de estar a ser violentados a sangue frio por um qualquer padrinho e respectivos comparsas mais a norte, que entre duas bordoadas ainda arranjam tempo para erguer uma mão ensanguentada, apontar um dedo na direcção da Luz. Eu não consigo apreciar os jogos do Benfica contra o clube do Lumiar. Para mim são uma experiência horrível, o culminar de uma semana em que apanho uma dose de clube do avozinho é superior ao acumulado do resto da época toda. Chego a ficar agoniado ao olhar para o campo e ver aquelas camisolas horripilantes ao lado das nossas. Farrapos verde e branco que se arrastam pelo relvado. Eis a minha resposta aos que me vêm com histórias de que eu deveria era considerar o FC Porto como o nosso grande rival, não fazem ideia do que falam. Esses estão identificados, são um fenómeno recente que devido a corrupção estão a ter direito ao seu tempo de fama. O Clube do Campo Grande desde os motivos que motivaram o seu nascimento que ao abrigo de um epíteto de eterno segundo clube de Portugal beneficiam do nosso beneplácito.

 

Que a imagem do seu presidente ao lado de Dias ferreira a berrar a plenos pulmões impropérios para com o Benfica faça com que a imagem de “coitadinhos” termine de vez. Hoje há Derby? Quero lá saber...

publicado por Carlos às 15:54 link do post
20 de Novembro de 2009

 

Últimos confrontos com o Vitória de Guimarães

 

Ainda ia o Campeonato no seu início, no berço da nação, coube a Ramires brilhar na frieza com que subiu, subiu e subiu, e de cabeça mandou um míssil na malapata em que na altura nos arriscávamos a caír. Vitória por 0-1 sobre o Vitória de Guimarães. Já poucos se rão os que se lembrarão dos erros do senhor Pedro Proença. (uma vez mais).  Quanto ao Guimarães, para além de já se saber que seja qual for a Equipa em Portugal, o jogo com o Benfica é sempre o "seu". Mas alguém lembre os jogadores do Guimarães que deixarem o sangue em campo não é o do adversário. Alguém lembre os jogadores do Guimarães que garra não significa assassinar alguém em campo. Este último jogo relativo à Liga que possa servir de exemplo.

 

Uma vez mais foi a segurança e a determinação dos jogadores que proporcionaram esta vitória. Que esse jogo e outros que já fizemos com o Vitória sirva, para que, nos lembremos e principalmente J Jesus e os nossos jogadores que em Portugal o "futebol" é este. Torna-se necessário adaptar por vezes o querer jogar conforme se treina para um jogo num em que a Equipa se adapte ao lamaçal anti-Benfica que iremos por diversas vezes encontrar... 

 

 

 

Ao que se diz iremos no jogo para Taça entrar porventura com aquela que será a nossa segunda linha de jogadores É certo que existe um conjunto a que se poderá chamar de onze já definido, no entanto é evidente existir neste momento em cada elemento que não consta do tal onze uma solução e não um suplente. Assim será um misto entre os profissionais que têm vindo a jogar mais assiduamente, apenas isso.

 

Para alguns dos nossos jogadores os jogos já efectuados com o V. Guimarães na pré-época e na Liga constituiram um excelente teste e um fantástico ensinamento para o amos enfrentar inúmeras vezes, adversários a fazer do jogo com o Benfica "o jogo da sua vida", as habituais entradas assassinas (não esqueço aquela entrada sobre Patric ) a corrente e useira visão "alargada" das arbitragens portuguesas. Foi excelente para que os novos jogadores ptivessem já percebido que o nosso futebol é algo de muito particular. Têm de perceber que o sabor de "injustiça" tem de ser abolido, têm de perceber que se um adversário se rebolar 2 vezes vai saír amarelo e se rebolar 3 ou mais é vermelho certo. Têm de perceber que a um remate "defendido por defesa com as duas mão" em vez de penalty dá amarelo ao jogador do Benfica. Excelente teste ainda para perceberem que jogadores adversários a "arrochar" no Di Maria, que nada se passa. Que se pode marcar fora de jogo a Cardozo estando este 10 metros atrás dos jogadores do Guimarães. (recordam-se? Eu sim.) Devem e têm de perceber que entrar em campo será para mandar de inicio e fazer que estamos em campo não na espectativa mas para ir à procura da vitória desde o primeiro segundo.

 

Não esqueço ainda a habitual atitude arrogante de certos elementos em Guimarães, e aqui não excluo parte dos seus adeptos. Por falar em adeptos do Guimarães, eis mais um excelente momento para que principalmente os mais novos se te tivessem habituado a ouvir de meninos imberbes não canticos de incentivo às suas equipas mas sim insultos ao Benfica. Nada de novo. Em seguida vão sempre para casa cabisbaixos a pensar, "mas porque não escolhi o Benfica"?

 

Quanto à nossa Equipa, parece ser claro que irá ser Moreira tomar o lugar de titular da baliza do Glorioso. Que face à ausência do nosso Almirante Luisão manteremos igualmente mais uma dupla que motiva a frase de "melhor dupla de Centrais a actuar em Portugal". Ramires, não sendo certo, é uma grande possibilidade o seu regresso.

 

Quanto ao senhor árbitro, não sei quem é...

publicado por Carlos às 18:16 link do post
11 de Novembro de 2009

 

Costa Pereira, Manuel Bento, Michel Preud´Homme, Robert Enke... eis os nomes que de imediato surgem na minha memória ao falarmos de grandes guarda redes do Benfica...


Faltarão aqui concerteza aqui nomes que representaram ou representam o nosso querido Benfica, perdoem-me a injustiça, mas são de facto estes os nomes despoletados pela minha memória benfiquista.

 

Fala no entanto mais alto a memória do homem que no pouco tempo que passou por esta vida, tanto fez além do mundo do futebol...

 

 

 

 

Morreu Robert Enke, antigo guarda-redes do Benfica: http://desporto.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1409269
Morreu Enke,antigo guarda-redes do Benfica:
http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Desporto/Interior.aspx?content_id=1416536
Morreu Robert Enke: http://dn.sapo.pt/desporto/benfica/interior.aspx?content_id=1416538
Enke: 93 jogos pelo Benfica entre 1999 e 2002:
http://diario.iol.pt/desporto/enke-mourinho-benfica-portugal/1102257-4062.html
Enke nunca esqueceu o Benfica:
http://diario.iol.pt/desporto/enke-benfica-portugal-alemanha-seleccao-euro/963279-4062.html
Alemanha: Morreu Robert Enke:
http://diario.iol.pt/desporto/enke-robert-enke-hannover-alemanha-morte-benfica/1102256-4062.html

 

 

publicado por Carlos às 11:19 link do post
11 de Novembro de 2009

 Até onde irá a resistência humana...?

 

Que Deus tenha piedade Robert. Repousa em paz e que possas ter ido ao encontro da tua filha!

 

 

 

publicado por Carlos às 01:15 link do post
10 de Novembro de 2009

Sem comentários

 

 

publicado por benfica-sempre às 21:34 link do post
tags:
10 de Novembro de 2009

Há dias em que bola não entra. Ontem não foi um deles.


A esquadra Benfiquista derrotou mais uma frota inimiga e venceu a batalha naval de ontem à noite com todo o mérito, aproveitando assim os deslizes dos principais rivais directos que mais uma vez meteram água.

 


Certo de que temos ainda muitas batalhas pela frente e muitos piratas para enfrentar, dentro e fora de campo, desejo a toda a tripulação benfiquista, ao homem do leme (JJ) e a esse torpedo que dá pelo nome de Javi Garcia, muitos parabéns por esta vitória à campeão. 

 

 

 

 

publicado por DomCasmurro às 14:47 link do post
08 de Novembro de 2009

O nome BENFICA causa incomodo a muita gente.


Em entrevista à TVI, Paulo Bento, num momento corajoso e desassombrado, disse: "Houve depressão devido à pré-época do Benfica". "Complexo de inferioridade com o Benfica deve acabar" Tem razão o Paulinho Bento. O Benfica sempre foi e continuará a ser o grande quebra-cabeças do Sporting ( e de todos os outros) e dos Sportinguistas.

 


Os lagartos vivem com o Sporting e sofrem com a grandeza do Benfica. Ver o Glorioso fazer a pré-época maravilhosa que fez, e estar a jogar um Futebol de fino recorte técnico, abala aquelas cabeças, qual tsunami avassalador e destruidor A depressão por causa do Benfica está a destruir a lagartagem, Languidez, Abatimento, Desânimo, são sinónimos da situação "feliz" que se vive pelas bandas do alvalixo Confesso a minha tristeza com a saída do Paulinho Risquinho ao meio. É que assim sujeito-me a não ter o prazer de no final da época ver o Sporting sobre a linha-de-água aflito para não descer à liga Vitalis Que chatice. Se há factos que são reais e indesmentíveis estes são alguns deles. O zborteing (os dirigentes, adeptos e sócios) fica deprimido sempre que o SLB eleva a sua qualidade futebolistica, os associados aumentam (já são mais de 200 000) mas sobretudo quando ficam atrás de nós. Aí os complexos de inferioridade são tremendos. O campeonato deles é ficarem à nossa frente, não se importando que o campeão seja qqr outro, não sabem viver com a sua menoridade. E deprimidos vão ficar porque nunca irão olhar para o espelho e reparar definitivamente o quão pequenos são!!! Acordam e adormecem a pensar no Glorioso. No estádio em vez de apoiar o Zportem usam uns canticos que são já musica para os nossos ouvidos. Deixou de ser patológico o facto de num jogo qualquer sem a presença do SLB, de quem se lembram? Do grande e Glorioso Sport Lisboa e Benfica

publicado por Carlos às 16:39 link do post
08 de Novembro de 2009

Eu quero lá saber de vitórias morais, quero Verdade. Tratando-se do nosso futebol  zinho, não há vitórias ou empates morais e muito menos justiças repostas mais tarde.


Por cá como bem sabemos podem existir, envelopes, frutas, cafés com leite e túneis que o futebol decide-se com o resultado dos jogos, sem apelo nem agravo. Não sofre emenda ou perdão e não permite que se testemunhe semanalmente o juízo legal e isento de cada falta cometida à margem da lei. Por isso ao Sport Lisboa e Benfica não basta vencer, há que triunfar e com muitos golos de diferença. Só assim podemos atenuar os "erros" de arbitragem e emperrar a habilidade dos dirigentes que nos são contrários.


Em Braga, a agressão a Fábio Coentrão era merecedora de cartão vermelho e a grande penalidade sobre Saviola deveria ter sido assinalada. Amarelo no minimo para Hugo Viana. Ramires e Cardozo foram agredidos sentimo-nos assaltados e de novo, a Verdade desportiva levou mais uma facada.


Constatações e agrassões à parte, o pior de tudo é a anulação de um golo limpo...


Perdeu-se o empate, o empolgamento no momento em que o Braga mal tocava na bola e acima de tudo a perda de podermos assistir a um grande jogo de futebol.  Seguramente após o empate e com o balanço que tinhamos na altura a vitória não nos iria escapar.


Mas, acreditem as mentiras como estes 2 - 0 de Braga vão persistir mas já não terão muito mais tempo de vida...o Polvo já estrabucha... 

publicado por Carlos às 16:01 link do post
08 de Novembro de 2009

Têm sido anos e anos, décadas a procurar que a voz da revolta desde os tempos de Pedroto não fosse única, e não não tem sido. Têm sido anos e anos, a ouvir que aquilo que surgia como pura corrupção (não tenho nome mais simpático) não era mais do que desculpas de quem não teria força suficiente dentro de campo. Não me calarão, não nos calarão nesta demanda pela Verdade Desportiva. Continuo a ver os principais padrinhos em liberdade, continuo a ver julgamentos atrás de julgamentos (há anos atrás nem julgamentos seriam feitos) a dar em nada a não ser a revolta causada pelo facto de mafiosos do nosso futebol se livrarem por espedientes conseguidos por advogados quais ratos da lei, conseguirem nas zonas brancas da lei conseguirem pormenores técnicos para livrarem os seus Clientes. Sim estão cá fora conforme a lei. Mas todos sabemos o motivo. Todos sabemos que esta situação já vai muito além da culpa, aquela que nenhum julgamento iliba, e que, a todos diz: esta gente andou e anda metida em su-mundos que vai muito além das marcar que delimitam um relvado de futebol. Não nos calarão. Garanto não nos calaram enquanto continuarem impunes estas ervas daninhas.

 

Passam todos aqueles que ficarão ligados ao "Apito Dourado" e ficam ainda todos os que infelizmente apenas dentro de anos faram que se diga, afinal...pois, mas como sempre naquilo que de facto interessa no momento, os pontos, a justiça, tudo isso é mandado às malvas.

 

E neste momento temos "novas" ou relativamente novas personagens de um sistema de um polvo que está longe de estar morto.

 

Temos bem presente, e não cansarei de manter este caso bem actual enquanto não vir os responsáveis castigados. A novas faces são os Jorge Sousas que ainda temos a usar apito de forma oficial. Eis a vergonhosa verdade do futebol português. Eis a principal face do actual Sistema.

 

 

 

As frutas mantêm-se, os cafézinhos igualmente continuam a ser servidos e agora temos um "remake" os Túneis, no caso o do Porto B.

 

Castigos EXEMPLARES para Vandinho, Mossoró e toda a corja que cobardemente actuou naquela entrada de túnel. Ainda EXEMPLARES devem ser os castigo à empresa de segurança 2045 (precisam de um alvará, tendo em conta a actuação ética dos seus profissionais não é?...) E ainda EXEMPLAR deve ser o castigo ao Porto B vulgo Sp Braga como Equipa organizadora e principal responsável por toda a vergonha que ocorreu naquela noite.

 

 

publicado por Carlos às 15:21 link do post
08 de Novembro de 2009

Anda tudo com os olhos postos na tabela classificativa, temos campeonato, o Benfica mantêm-se firma na luta pelo seu objectivo e no entanto aqui está esta sensação de sentir que nada disto faz sentido.

 

 

Bem tentamos andar por aqui a jogar futebol, mas fica-me esta sensação de andar com umas asas de anjinho. Ninguém me tira esta sensação de andarmos a jogar algo e por algo previamente definido.

 

Tudo o que envolve esta coisa do chamado futebol profissional me faz pensar que quero lá saber neste momento se o envelope do Pinto da Costa foi dado na sala, no quarto ou na casa de banho, quero lá saber se foi para o árbitro ir para as Seychelles ou para pagar a entrado do automóvel, estou-me a borrifar sobre se o Juíz Mortágua é ou não amigo de Pinto da Costa. O que de facto quero saber, e me desgosta é que seja "perfeitamente normal" um árbitro na véspera de apitar o (FC) Porto vá a casa do Presidente desse clube. Quero saber porque é considerado "pormenor" o homem que à data "até era Presidente do Conselho de Justiça da FPF" saber que há, desculpem que havia corrupção, um Juíz que até sabe os valores (honorários) devidos para o efeito, que saiba que 2500 Euros, não serviriam sequer para o aquecimento dos árbitros e no entanto fique tudo como antes.

 

Quero saber porque o Procurador Geral da Républica se resigna com o que está para trás e se preocupe apenas em "daqui para a frente nada será como antes..."

 

Enfim...quero saber. Mas quem sou eu para querer saber? A diferença estaria se existissem muitos "EUS" a quererem saber.

 

Valerá a pena? Parem as rodagens, deixem-me saír, este filme não me interessa.


Passado o desabafo, vamos a isso, vem aí a Naval e uma vez mais a titude deve ser "Sem piedade".

publicado por Carlos às 15:07 link do post
Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
13
14
15
16
17
18
19
21
22
23
24
25
26
27
29
30
NOTÍCIAS
subscrever feeds
Page Counter & TV

Hit Counters




pesquisar neste blog
 
últ. comentários
É verdade nao deixemos o slb a ser consumido com ...
Pelo factos dados como provados? Dados Como prova...
Amigo que a liga condenou um inocente e os factos ...
Boas.Não querem trocar de links entre os nosso blo...
Gostei muito
Achei engraçado um pormenor aqui no blog ... ainda...
Olá.Visitei o seu blog e achei-o bastante interess...
filhos da puta dos portistas, metem nojo!
E o pior de tudo é que isto PRESENTEMENTE se está ...
blogs SAPO